Nome científico:

Apodemus sylvaticus (Linnaeus, 1758)

Nome comum:
Rato-do-campo
Família:
Muridae

 

 

O rato-do-campo apresenta cabeça bem diferenciada do corpo, com olhos e orelhas bem desenvolvidos, focinho pontiagudo e cauda comprida. Os juvenis são acinzentados e os adultos possuem o dorso castanho-amarelado, sendo mais escuro na parte média, e ventre esbranquiçado. Alguns indivíduos podem apresentar uma mancha amarela no peito.

Murídeo de tamanho médio, atingido entre 77 - 110 mm de comprimento do corpo e 69 - 115 mm de comprimento da cauda, podem pesar entre 14 e 38 g.

Apresenta patas posteriores compridas em relação ao tamanho do corpo (entre os 20-24 mm nos adultos) indiciando a sua adaptação ao salto. 

 

 

Habitat/Ecologia

Ocorre numa grande variedade de habitats, apesar de caracteristicamente ocupar zonas de bosques e de matos, estando presente também em zonas agrícolas e prados de herbáceas altas. Utiliza preferencialmente áreas com uma boa cobertura arbustiva e/ou arbórea, apesar de a sua densidade diminuir em grandes manchas homogéneas, preferindo áreas marginais.

Espécie omnívora e oportunista, de maneira geral a base da sua alimentação é composta por bagas, frutos e sementes, podendo alimentar-se também de insetos e outros artrópodes.

 

Período mais favorável à observação

Apresenta hábitos quase estritamente noturnos, apesar de pontualmente estar ativo durante o dia. A sua densidade populacional varia ao longo do ano, estando dependente de fatores como a disponibilidade alimentar e/ou a meteorologia. De maneira geral em Portugal, verifica-se um incremento populacional no outono e no final do inverno/início da primavera, alturas em que ocorrem os picos da reprodução.

 

Curiosidades

É presa comum de um grande número de predadores, quer mamíferos carnívoros como a gineta (Genetta genetta), quer rapinas noturnas como a coruja-do-mato (Strix aluco). Devido à sua alimentação é considerado um dispersor de sementes, favorecendo a regeneração natural dos habitats. 

 

Distribuição

O rato-do-campo apresenta uma distribuição paleártica, ocorre em quase toda a Europa e algumas zonas do norte de África. Esta espécie encontra-se bem representada por todo o país, podendo ser bastante abundante localmente.